Muitas empresas optante pelo Simples Nacional ao contratar um funcionário olham apenas para o valor efetivo do salário a ser pago, e esquecem de muitas outras variáves que compõem as despesas com funcionários mensais. Isso só é percebido no final de cada exercício quando precisam pagar o 13º salário ou quando precisam dar férias para o funcionário ou até mesmo desligá-lo da empresa, percebendo que não conseguem fazer por questões financeiras.

Reforma Trabalhista

Com o advento da Reforma Trabalhista, em vigor desde o último dia 11 de novembro de 2017, surgiram algumas novas possibilidades do empregador contratar os seus funcionários, seja através do Trabalho intermitente, ou até mesmo adotar o Home Office, entre outros. Desta forma, o empregador voltou a fazer contas sobre a sua folha de pagamento, levando em consideração que trata-se de uma das maiores despesas de uma empresa. É claro que a questão financeira não é a única a ser considerada em possíveis alterações na relação trabalhista. Produtividade, perda de efetividade no trabalho, clima organizacional, entre outros devem ser analisados para que, se houver alguma alteração nesse sentido, seja efetivamente boa para ambas as partes da relação trabalhista.

[Planilha]Despesas com funcionários na prática

A seguir, em uma simples planilha, iremos considerar o custo de um funcionário de empresa optante pelo Simples Nacional. Em 2018 isso será muito importante pois, com o Novo Simples Nacional, o tamanho da Folha de Pagamento poderá afetar a sua alíquota do imposto que você paga, dependendo da sua atividade e de outras variáveis também. Para acessar a planilha, clique aqui e converse com o seu contador sobre o assunto e veja como você pode se programar melhor para o ano de 2018 em relação a sua folha de pagamento.

Ricardo Macedo

Autor Ricardo

Administrador de Empresas, Pós-Graduado em Gestão Tributária pela FECAP, Sócio-Diretor da Via Contax Contabilidade, Membro do Business Networking International - BNI Ação.

Mais artigos de Ricardo

Deixar um comentário